Plugmetal Magazine

Pesquisar
Pesquisar pelo termo exato
Pesquisar por título
Pesquisar pelo conteúdo
Pesquisar por trechos
Filtrar por postagem
Posts
Conteúdo do dia:

Entrevista com a banda Eradicator

5
(2)

Em primeiro lugar, gostaria de agradecer a todos da Eradicator pela entrevista.

Seba (Guitar / Vox – ERADICADOR): Obrigado por nos receber. É um prazer falar com você!

Nesta primeira parte da entrevista gostaria que vocês nos falassem um pouco sobre sua discografia.

1- Fale-nos sobre a produção do Demo “Back to the Roots”:

Seba (Guitar / Vox – ERADICADOR): Nossa, isso aconteceu há muito tempo. Foi a mudança de anos entre 2006 e 2007 quando o gravamos. Ganhamos as gravações de estúdio em um concurso de bandas chamado “Sauerland Rock Awards”, que foi organizado por Sebastian “Seeb” Levermann da banda de Power Metal Orden Ogan, que também era totalmente underground na época.
Nós apenas escrevemos nossas primeiras cinco ou seis músicas e decidimos quando poderíamos tocar melhor. Naquela época também tínhamos outro vocalista na banda, que não duraria muito tempo como membro da banda. No estúdio e durante as gravações fizemos nossas primeiras experiências no rastreamento de nossa música, estávamos buscando a nossa identidade. Foi muito emocionante e desafiador. Mas tiramos muito proveito disso e pelo menos daquele ponto em diante trabalhamos muito duro em nossas habilidades de jogo.

Plugmetal Magazine: Uma história interessante e envolvente, vocês gravaram este álbum através de terem ganhado um sorteio, algo muito interessante. Lembrou-me quando ganhei um CD de Heavy Metal em um sorteio totalmente aleatório.

2- Conte-nos sobre a produção da álbum “The Atomic Blast (2007)”:

Seba (Guitar / Vox – ERADICATOR): Depois de fazer nossas primeiras experiências no Sound Division Studios com os engenheiros Jörn Michutta e Matthias Klinkmann, decidimos gravar nosso primeiro álbum lá também. Gostamos muito do ambiente do estúdio e gostamos muito da primeira estadia. Por outro lado, não conhecíamos alternativas, para ser honesto.

Acabei de terminar a escola e tive algumas semanas de tempo livre, e este era o lugar que conhecia para gravar o álbum. No verão de 2008, quando tudo aconteceu, éramos uma banda de três pessoas. Nosso segundo guitarrista Manuel “Manni” Müller tinha acabado de se demitir e nosso cantor, que tocou na demo, foi demitido alguns minutos antes de um show no outono de 2007. Assim a banda ficou  para os três membros fundadores, meu irmão Jan-Peter “Pitti ”Stöber na bateria, Sebastian Zoppe no baixo e eu tocando todas as faixas de guitarra e assumindo uma função de vocal pela primeira vez.
Em uma nota lateral, uma ilustração da capa foi pintada por um amigo de escola de meu pai.

Plugmetal Magazine: A banda logo no início passou por severas mudanças, contudo vocês conseguiram sobreviver ao tempo e lançar o vosso lugar ao sol, realizando um som bem original e característico vosso com grandes influências de toda a cena do Thrash Metal Alemão, sem perder os traços de vossa originalidade.

3- Conte-nos sobre a produção do álbum “Madness Is My Name (2012)”:

Seba (Guitar / Vox – ERADICADOR): A equipe para produzir o álbum “Madness Is My Name” foi praticamente a mesma das  sessões de “The Atomic Blast”, esperávamos encontrar um novo guitarrista, Robert “Robb” Wied, que está na banda até os dias atuais. Além disso, nossa abordagem era um pouco diferente. Queríamos dar ao álbum uma vibe mais oldschool e apenas uma bateria 100% real sem gatilhos ou samples, como é comum na produção de um disco de metal. Falando sobre composição, acho que desenvolvemos nossas habilidades de composição e performance de álbum para álbum. As músicas são muito divertidas de tocar e são uma parte regular de nossas sessões de ensaio e shows ao vivo.

Plugmetal Magazine: Realmente este trabalho em específico tem toda uma pegada bem OldSchool parece um álbum saído diretamente de 1985 por exemplo. Os riffs de guitarra, as pegadas de bateria e as interlocuções com o vocal tudo faz lembrar um trabalho de velha escola.

4- Conte-nos sobre a produção do Split “Thrashed Vol. IV (2014)”:

Seba (Guitar / Vox – ERADICADOR): Saímos em turnê com nossos amigos do Godlsave pela primeira vez em 2013 e ‘até agora temos uma grande conexão e amizade com os caras. Eles tinham esse trabalho sendo produzido há algum tempo e parecia um acéfalo quando eles nos pediram para contribuir com músicas para aquele lançamento. Então, tocamos a faixa-título do último álbum do Godslave e escolhemos uma música de nosso próximo lançamento, “Slavery”. A música “In Hell” do Godslave também foi gravada durante as sessões de estúdio de “Slavery”.

Plugmetal Magazine: Interessante eu não sabia que vocês tyinham participado deste trabalho em o Godslave, o som dos caras é muito bom , e eles já foram entrevistados pela Plugmetal Magazine em outra oportunidade. ( Ver entrevista)

5- Conte-nos sobre a produção do álbum ” Slavery (2015)”:

Seba (Guitar / Vox – ERADICATOR): Este foi o primeiro álbum produzido sem a contribuição do engenheiro de som Matthias Klinkmann. Olhando para trás na sessão, acho que gastamos muito tempo com o tom da guitarra e ainda acho que as guitarras soam incríveis naquele disco. Além disso, durante esse período tive as melhores habilidades de jogo que já tive. As músicas do álbum são realmente boas e recebemos muitos comentários positivos sobre elas.

Plugmetal Magazine: Este trabalho foi de fato excepcional com  as linhas instrumentais muito bem delimitadas e um bom entrosamento com a parte vocal, a guitarra foi um grande destaque da obra em si, baixo e bateria também estavam dentro dos padrões de qualidade. 

6- Conte-nos sobre a produção do álbum “Into Oblivion (2018)”:

Seba (Guitar / Vox – ERADICADOR): Quando a Yonah Records acabou, foi a primeira vez desde a era pré “The Atomic Blast”, que ficamos sem um selo. Além disso, queríamos mudar a equipe de produção de “Into Oblivion”. Foi muito trabalhoso conseguir que o Green Zone Music Label acompanhasse nossos amigos em Godslave, mas valeu a pena. Nesta época fizemos muitas experiências de negócios das quais podemos lucrar até hoje.
O engenheiro de produção de Into Oblivion foi Martin Buchwalter, que produziu alguns dos últimos discos do DESTRUCTION. Ele tem um estúdio muito bom em Troisdorf e passamos duas semanas incríveis lá com a banda e gravando o álbum.

Estávamos bem preparados e o processo foi muito eficiente. Tudo foi rastreado em 10 dias. Esse foi um novo melhor momento para nós.
As músicas desse quarto álbum são muito divertidas de tocar ao vivo e nós apreciamos cada show em apoio a ele.

Plugmetal Magazine: Em certa medida este álbum representou um novo momento para a banda, no qual muitos desafios novos surgiram e partir deles também muitas novidades, a qualidade técnica evoluiu muito através deste trabalho e de toda equipe técnica envolvida na produção e pós produção do mesmo.

7- Conte-nos sobre a produção do álbum “Influence Denied (2021)”

Seba (Guitar / Vox – ERADICADOR): Ha, ok, as memórias desta aí estão frescas. Produzir foi muito diferente dos outros álbuns, já que por causa da Covid não tínhamos permissão para ensaiar durante o processo final de composição e preparação do estúdio. Também mudamos novamente o engenheiro de produção. O álbum foi gravado com a ajuda e também mixado e masterizado por Sebastian “Seeb” Levermann. A maneira como ele trabalhou conosco realmente apoiou o processo de rastreamento durante esses tempos loucos e difíceis. Gravamos guitarras e baixo completamente em meu estúdio caseiro. pudemos levar o tempo necessário para fazer nossas melhores tomadas. A bateria foi gravada em um estúdio profissional, assim como os vocais. O que eu acho muito importante para obter a qualidade de som necessária. A performance de Pitti foi incrível e impecável. Ele misturou tudo em 24 horas. Isso foi incrível. Especialmente quando você pensa sobre a complexidade e o peso de sua bateria no novo álbum.
Estabelecer os vocais também foi uma experiência agradável. Seeb foi realmente útil e deu algumas dicas muito boas para elevar meu desempenho a um nível mais alto.
Estamos muito orgulhosos do resultado final e ansiosos, de estarmos tocando essas músicas ao vivo para nossos fãs.

Plugmetal Magazine: A pandemia de Covid atrapalhou a vida de muito gente, várias pessoas infelizmente perderam suas vidas. Tão logo esse momento nefasto passe vocês poderão apresentar este novo trabalho ao vosso público. 

Agora vamos falar sobre a formação da banda.

8- Como os membros da banda se conheceram?

Seba (Guitar / Vox – ERADICADOR): Pitti e eu nos conhecemos logo após seu nascimento, já que ele é meu irmão mais novo de um ano e meio, haha. Também somos melhores amigos e fizemos tudo juntos na nossa infância. E quando começamos a ouvir metal e queríamos fundar uma banda, foi fácil para mim convencê-lo a assumir a bateria. É apenas o instrumento que se encaixa perfeitamente para ele. Comecei a tocar guitarra no inverno de 2002/2003 e ele começou acho que foi no verão ou no outono de 2003. O Zoppe também é um amigo nosso que conhecemos desde… não sei. Estávamos na mesma classe na escola e ele gostava de música pesada também. Então, um dia fatídico, descobrimos o baixo do meu pai, que guardei no meu quarto. Isso deve ter sido por volta do verão de 2003. Ele estava prestes a fundar uma banda própria desde o início, então ele comprou um baixo e teve aulas. Finalmente, no início de 2004, nos encontramos em uma pequena sala de ensaio tentando “tocar” juntos.
Depois de algumas mudanças pessoais na segunda guitarra – Robb se juntou ao ERADICATOR em 2010 – ainda temos a mesma formação.

Plugmetal Magazine: Interessante! Nada mais a comentar de minha parte apenas que deveríamos dividir umas cervejas qualquer dia desses e conversar sobre algumas bandas históricas, voês estão embebecidos na loucura das bandas dos anos 80 {risos}.

9- Quais atividades a banda estava fazendo antes da pandemia do Corona Virus?

Seba (Guitar / Vox – ERADICATOR): Quando Corona chegou ao nosso mundo, estávamos no processo de composição do álbum nº. 5, mas também tinha muitos shows planejados. Infelizmente, como para todo mundo, todos os shows e festivais foram cancelados e não fizemos um show de verdade desde março de 2020.

Plugmetal Magazine: Realmente a pandemia foi um pé no saco para todos nós. Todos aguardamos o fim  desta porra!

10- Quem escreve as letras da banda?

Seba (Guitar / Vox – ERADICATOR): Todas as letras de nossas músicas foram escritas por mim. Eu realmente gosto de me expressar com essas letras e torna mais fácil cantar as letras, você escreve sozinho. Então você sabe o que eles significam e se você gosta de mudar algo você não precisa da permissão de ninguém, haha.

Plugmetal Magazine: Isto realmente é muito bom , o processo de copmpor uma letra de música requer um bom trabalho e uma certa dose de didicação, quando nse faz sozinho pode-se pensar o suficiente no assunto antes de lança-lo.

11- Como costuma acontecer o processo de produção de uma música?

Seba (Guitar / Vox – ERADICATOR): Nos três primeiros álbuns, Zoppe e eu escrevemos cada um mais ou menos metade das canções. Isso mudou com INTO OBLIVION e INFLUENCE DENIED. Eu escrevi a maioria das músicas. Zoppe escreve uma faixa em cada um dos dois álbuns e no INFLUENCE até Robb contribuiu com alguns riffs pela primeira vez.

Plugmetal Magazine: Então parte das composições surgiu de forma bem plural, isto é muito interessante.Nós falamos tanto que minha cerveja esquentou {risos}.

12- Vamos agora falar sobre o futuro, quais são seus projetos para o futuro?

Seba (Guitar / Vox – ERADICADOR): Estamos procurando fazer shows novamente em 2022. Nós realmente sentimos falta de estar no palco e nos apresentar para os thrash maníacos. É muito importante para nós, como artistas, apresentar nossa música às pessoas. Apenas a atmosfera de um show de metal é algo muito especial, como vocês com certeza sabem muito bem. Precisamos voltar lá tocando para todos vocês!
Além disso, recentemente começamos a escrever alguns riffs novos. É assim que funciona melhor para nós. Ser produtivo sempre que estivermos de bom humor. Mas não há planos precisos para um novo álbum agora.

Plugmetal Magazine: Compreendo bem toda esta situação, estar em um show é um momento único desejado por cada artista ao redor do mundo, é a hora de explodir toda a sua força para junto da platéia e dar o melhor de si.

13- Cite algumas bandas que surgiram da mesma cena que você e comente sobre o Underground local.

Seba (Guitar / Vox – ERADICADOR): Viemos de uma pequena cidade onde a cena do metal não é tão grande. Mas se estendermos o raio em torno de nossa cidade natal, eu teria que mencionar o Death Metal original do MORGOTH e, mais recentemente, o acima mencionado ORDEN OGAN.
Fora isso, nos sentimos altamente conectados com a cena do Ruhr Area Metal, que é realmente grande e incrível. Fizemos muitos shows em Essen, Bochum, Gelsenkirchen, Oberhausen e Dortmund, por exemplo, e temos uma base de fãs em crescimento constante por lá. Como a maior parte da cena thrash alemã surgiu a partir daí nos anos 80, temos uma alta densidade de bandas e clubes incríveis nessa área.
Voltando à cena da nossa cidade natal, temos alguns bons amigos tocando em bandas de punk rock. E quando éramos mais jovens, parecia que éramos a única – em nossa opinião – banda de metal “extremo”.

Plugmetal Magazine: A Alemanha é um cenário farto de bandas de metal em especial de Thrash Metal algumas da maiores e melhores bandas do estilo na atualidade provém daí, tais como, Kreator,Destruction, Tankard,Sodom, Iron Angel, Exumer, Holy Moses etc…

14- Se você pudesse colaborar com uma banda ou músico atual, quem seria?

Seba (Guitar / Vox – ERADICADOR): Se eu escolhesse uma das bandas que pertencem aos meus heróis do thrash metal de todos os tempos, escolheria o DEATH ANGEL. Se eu continuar com esse sonho, seria inacreditável lançar um EP dividido ou algo parecido com eles.

Plugmetal Magazine: O Death Angel tem um trabalho primordial na história da música Thrash Metal. Gosto muito de tudo que é realizado por eles, tanto parte técnica como os vocais são todos muito bem definidos e ao final nós temos um put álbum. A cada trabalho um som distinto e muito original.

15- Se você pudesse tocar em qualquer festival do mundo, qual escolheria e por quê?

Seba (Guitar / Vox – ERADICADOR): Acho que escolho uma dessas grandes turnês de festivais nos EUA, se isso conta como um festival nesse sentido. Viajar pelos Estados Unidos ou mesmo pela América do Sul com nossa banda seria mais um sonho se tornando realidade.

Plugmetal Magazine: Seria realmente muito bom vê-los a executar o seu Thrash Metal na América do Sul, as comunidades de fãs de metal são extremamente fanáticas neste continente.

16- Se você pudesse mudar alguma coisa na indústria da música, o que seria?

Seba (Guitar / Vox – ERADICADOR): Eu acho que a comunidade do metal ou pelo menos as gravadoras de metal perceberam tarde demais para se adaptar ao streaming. Não me interpretem mal, gosto de colecionar e adorar as cópias físicas dos álbuns que amo, mas o streaming é futuro. Além disso, um grande problema na minha opinião é que a distribuição digital está em mãos privadas e pouco dinheiro chega aos músicos. Talvez fosse uma situação melhor se as sociedades de gestão coletiva de licenças de música tivessem a ideia dos serviços de streaming on demand. Mas isso é apenas uma teoria.

Plugmetal Magazine: Sem dúvidas a música digital é o futuro da música, menos espaço e mais conteúdo.

17- Vou citar dez clássicos do Thrash Metal, diga-nos se algum deles faz parte de sua influência musical e se sim, o que eles representam em sua vida.

[Sebá: Como você pode ver, só vou falar sobre o álbum com o qual tenho uma ligação pessoal, ou gosto muito.]

Plugmetal Magazine: Ok Homem desce a porra da opinião!

1) KREATOR: “PLEASURE TO KILL” (1986)

Seba (Guitar / Vox – ERADICADOR): Esse é um disco que gosto muito. Tem muitos clássicos do KREATOR. Realmente cru e da perspectiva de hoje, muitas vibrações de death metal acontecendo. Estou orgulhosamente usando um patch “PLEASURE TO KILL” nas costas de um dos meus coletes de batalha.

Plugmetal Magazine: O Kreator apresenta um dos melhores trabalhos de toda história da música Thrash Metal.

2) Sacrifice, “Forward to Termination” (1985)

A: NDA

3) Demolition Hammer, “Epidemic of Violence” (1992)

A: NDA

4) Morbid Saint, “Spectrum of Death” (1990)

A: NDA

5) Holy Terror, “Terror and Submission” (1987)

A: NDA

6) Death Angel, “The Ultra-Violence”

Seba (Guitar / Vox – ERADICATOR): Um dos meus álbuns favoritos. Eu amo o DEATH ANGEL e foi aqui que tudo começou. Inacreditável que Mark tivesse apenas 15 anos de idade, quando gravou seus vocais para o álbum. Acho que cada música é um clássico.

Plugmetal Magazine: Sem dúvidas cada álbum é um clássico.

7) Exumer, “Possessed by Fire” (1986)

Seba (Guitar / Vox – ERADICADOR): Eu não conhecia a banda até sua reunião em um show que tocamos juntos em 2010, eu acho, em Zurique, Suíça. Gosto do álbum e também dos mais novos.

Plugmetal Magazine: Nós não tinhamos idéia que vocês já tinham tocado com eles, grandes garotos {risos}.

8) Whiplash, “Power and Pain” (1985)

A: NDA

9) Sabbat, “History of a Time do Come” (1988)

A: NDA

10) Megadeth, “Killing is My Business…and Business is Good!”

Seba (Guitar / Vox – ERADICADOR): Esse é, claro, um dos meus discos favoritos de todos os tempos. Posso ouvir todos os primeiros discos do Megadeth o dia todo. O trabalho de guitarra é inspirador e também desafiador. Aprendi muito tocando as composições de Dave na guitarra. Em nosso primeiro show – em 2005 – tocamos The Mechanix.

Plugmetal Magazine: O Megadeath é um dos tarbalhos mais bem sucedidos de toda história da música extrema, os priemiros álbuns realmente levaram a múisca á um outro nível.

18- O que você tem feito para manter a banda unida nestes tempos de pandemia do vírus Corona?

Seba (Guitarra / Vox – ERADICADOR): É uma verdadeira luta, que não temos a possibilidade de ensaiar ou fazer shows no momento. Isso é realmente uma merda. Mas aproveitamos o tempo para escrever músicas, filmar alguns vídeos, lançar um álbum e bater um papo com a banda via Zoom toda semana. Temos a sorte de que nossa renda não depende da indústria da música. Mas assim que a situação melhorar, estaremos de volta ao palco instantaneamente.

Plugmetal Magazine: Obrigado novamente pela entrevista e deixo este espaço aberto para vocês
deixe uma mensagem especial ao público.

Seba (Guitar / Vox – ERADICADOR): Obrigado pela entrevista, agradeço muito o apoio. Saudações a todos os maníacos do thrash metal por aí. Confira nossas músicas, nossos vídeos, deixe um comentário ou o que você quiser. Fique e salve a todos!

Entrevista realizada por: Wagner Barbosa

Links Sociais:

Site | Facebook | Instagram | Spotify | E-mail

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 2

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Como você achou esse post útil...

Sigam nossas mídias sociais

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Por favor compartilhe: