Plugmetal Magazine

Pesquisar
Pesquisar pelo termo exato
Pesquisar por título
Pesquisar pelo conteúdo
Pesquisar por trechos
Filtrar por postagem
Posts
Conteúdo do dia:

Grinding Reaction: baixista e fundador da banda, Renato Spadini Jr, em carta aberta aos fãs, explica como idealizou o álbum “Insólito”, lançado recentemente

O baixista e fundador do Grinding Reaction, Renato Spadini Junior, em carta aberta aos fãs, revelou toda a história criada e que proporcionou no último dia 22 de junho, o lançamento do disco Insólito, que possui faixas inéditas e lados B do ano de 2002 há 2008.

Abaixo você irá conferir todas as explicações do músico e o envolvimento de cada um nesse registro que veio para celebrar os 20 anos de história da banda.

As Histórias do projeto “Insólito 2002 – 2008”

A banda Grinding Reaction está comemorando 20 anos de fundação. Nós temos um grande orgulho e respeito com a nossa História! Diante disto achamos importante resgatar, uma fase interessante da banda, e é baseado nessa ideia que nasce o projeto “Insólito 2002 -2008” É um material com músicas inéditas e músicas conhecidas de todos em versões diferentes dos oficiais, juntamente com músicas do EP de 2004, “Oppression, Negligencie Tears and Blood, nosso grande trabalho do período, ou seja, esse álbum, traz momentos diferentes da vida e da musicalidade da banda.

Em 2002, nós já tínhamos gravado a demo e ainda estávamos buscando experiência de estúdio. E nessa época fizemos uma mix alternativa em duas músicas da Demo de 2001, foram elas, “Violence” e “Impunity” para ver se teríamos um resultado melhor, não aconteceu, mas, entendemos melhor o que era uma mixagem!!!! Ainda em 2002, nosso amigo, de longa data, Marcelo Ariente, que até hoje trabalha com produção, gravação de bandas e engenharia de som, trabalhava em um estúdio, na Avenida da Consolação, no centro da cidade de São Paulo, ninguém lembra o nome do tal estúdio, nem o Marcelo!  Ele nos convidou, para fazermos uma música, tinha arrumado duas ou três horinhas, ele estava no começo de carreira, e queria fazer experiências, então fomos no estúdio que ele trabalhava e acabamos fazendo uma gravação da música “Prostituição Infantil”. Essa música, mas, com uma outra gravação feita no Estúdio HF-15, em 2003, viria a fazer parte do EP “Oppression, Negligente, Tears and Blood, lançado em 2004. Essas três músicas, estavam guardadas há 18 anos, sem quase ninguém ter ouvido, não é o maior um primor de produção, mas, mostra o trabalho de quatro jovens, Leandro na bateria, Hugo na guitarra, Renato no baixo e J.M. na voz, bem inexperientes e tentando justamente buscar esse conhecimento, mas, ainda muito envolvidos na ideia do “faça você mesmo” do jeito que der.

https://open.spotify.com/album/2ovPWbsuMpeBHXom6DlYNW?si=l9dvWcn7TZ-fDXzKq6oVbw

Outro momento interessante do “Insólito” são duas, versões ao vivo, de duas músicas que nunca foram lançadas ” Globalize A Dead World” e “Animal Massacre” acabaram sendo registradas, meio por casoo, da pior maneira possível, foram gravadas ao vivo no Bar do Zé em Diadema. Nesse bar, nós fazíamos um festival, interessantíssimo, o “Rock On The Truck”, nós alugávamos um caminhão, pago pelo Zé, o dono do estabelecimento, colocávamos o caminhão na frente do bar e várias bandas tocavam, “o real, brutal, verdadeiro show underground”. No dia desse show, sem combinarmos nada, o Zé gravou a nossa apresentação numa câmera VHS e ficou esse registro de um dia memorável, o bar, a rua lotados e o som “comendo solto”, em cima da boleia do caminhão, que balançava muito!!!! Depois de muitos anos a gente conseguiu extrair esse áudio do vídeo, mas, ele ficou encostado perdido! Não é um áudio de qualidade, mas, uma memória fonográfica, que achamos interessante compartilhar. E outra, não se faz 20 anos todo dia, porque não soltar esse material, que foi gravado em 2006, já com a segunda formação da banda? Ainda mais, por esse material ser o único registro do Grinding Reaction tendo Leandro na bateria, Renato no contrabaixo, André na guitarra, Gustavo na outra guitarra e J.M. na voz.  Como já foi dito essa gravação é fantástica, está cheia gritaria, e a qualidade do som é ruim!!!!! Lembra uma gravação, só de áudio, pirata, do primeiro show do Metallica, em São Paulo, que era vendida no início dos anos noventa, numa loja na Galeria do Rock. É lógico que lançar essas duas músicas não é para mostrar o profissionalismo da banda ou sua a técnica, e sim, para dividir com aqueles que admiram nosso trabalho, um show underground, com a casa cheia e é empolgante!! É interessante dar acesso a esse tipo de material. E é essa a ideia do “Insólito”, é mostrar essas coisas que ficaram perdidas no tempo, que não tiveram divulgação por um motivo ou por outro outro.

No álbum “Insólito 2002-2008” ainda aparecem um outro grupo interessantíssimo, de músicas! Em 2007, o Gustavo, guitarrista, saiu da banda, e o Dione que era um outro guitarrista da cena de Diadema, que tocou por muitos anos em uma banda chamada For Inside, se juntou ao Grinding Reaction, que ficou com um time bacana, dois guitarristas experientes, “riffeiros”, Renato um baixista que cumpria seu papel, Leandro, um baterista técnico e João Marcelo, uma referência de vocais guturais da cidade!!!  Esses cinco caras fizeram um acordo gravar um Full Length.  Em 2008 a banda se organizou conversou, novamente, com o Marcelo Ariente, agora um profissional estabelecido, trabalhando numa empresa de áudio gigante, que tinha alugado os antigos estúdios da gravadora Continental. O Marcelo acompanhou o nosso trabalho de um ano compondo músicas novas e aperfeiçoando as músicas antigas, lapidando esse material, até onde deu! Mais ou menos em entre julho e agosto de 2008 a banda entra em estúdio para fazer uma pré, da pré-gravação. Fomos ao Studio Gumma Diadema, onde já ensaiávamos a algum tempo.

E finalmente, depois de meses trabalhando essas músicas, algumas já estavam mais consolidadas sendo tocadas ao vivo, do que outras compostas a pouco tempo, fomos gravar músicas nunca antes gravadas pela banda. Essas 19 músicas seriam as que fariam parte do nosso primeiro do primeiro álbum. A intenção era estar gravando o material definitivo, até o final do ano, na época era preciso levantar R$8000 para conseguir fazer a gravação, nos estúdios da antiga gravadora Continental. Então, gravamos as músicas para ouvi-las e termos uma ideia melhor da sonoridade da coisa toda. O problema é que depois da gravação, em um mês, nós tivemos uma grande reviravolta na banda surgiram muitos problemas, ou vieram à tona, desde problemas com cocaína, problemas com desemprego e a banda acabou esfacelando. E esse material foi esquecido, o que seria o ápice, virou um momento de derrota da banda.

Depois de 2008 muita coisa mudou, “ passou muita água embaixo dessa ponte” e esse material todo ficou esquecido durante anos. E agora, em um grande momento de comemoração, afinal quantas bandas chegam a 20 anos, dentro do underground brasileiro?  Resgatamos esse material, para contar, parte da História desta banda, mostrar esse trabalho para mais pessoas e deixar imortalizado na internet, nas plataformas digitais.

Ouvir “Insólito 2002- 2008, será algo semelhante a ouvir as demos, de 1982, do Napalm Death ou da banda Seven Minutes Of Nausea!!!!  Estamos preocupados em marcar esse momento, esse período da banda, nesses nossos, 20 anos de underground no Brasil!!!!

Renato Spadini Jr – baixista e membro fundador da banda

Informações complementares:

Faixas 2, 5, 6, 8, 9, 10, 11, 12 e 13 – Ao Vivo Estúdio Gumma – 2008 – Diadema

Faixas 4 e 7 – Ao Vivo Bar do Z – 2006 – Diadema

Faixas 1 e 16 – EP – Oppression, Negligence, Tears and Blood – 2004 – Estúdio HF-15 – Diadema

Faixas 3 e 15 – Mixagem Alternativa da Demo Grinding Reaction – 2002 – Estúdio HF-15 – Diadema

Faixa 14 – Gravação por canal feita no Estúdio, de nome desconhecido – 2002 – São Paulo

Mais informações:

Facebook: https://www.facebook.com/grindingreactionfanpage/

YouTube: https://www.youtube.com/channel/UC4CFPmr4SD0aFeVBKADVBmg

Roadie Metal Press: https://roadie-metal.com/press/grinding-reaction

Fonte: Roadie Metal Assessoria

 

Por favor compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •