Plugmetal Magazine

Pesquisar
Pesquisar pelo termo exato
Pesquisar por título
Pesquisar pelo conteúdo
Pesquisar por trechos
Filtrar por postagem
Posts
Conteúdo do dia:

Entrevista com a banda Cerebral Invasion

5
(1)

Em primeiro lugar, gostaria de agradecer a todos do Cerebral Invasion pela entrevista.

Nesta primeira parte da entrevista gostaria que vocês nos falassem um pouco sobre sua discografia.

1- Fale-nos sobre a produção do EP “Cerebral Invasion”:

A: Toda essa banda foi criada como uma forma de expressar minha raiva e frustração em relação a esse mundo, uma espécie de Terapia para que eu pudesse lidar com todas as dificuldades e decepções que passei.

Portanto, o primeiro Ep é uma manifestação da raiva e do ódio que temos em relação a esse maldito mundo e tudo nele. Queríamos mostrar ao mundo o que somos capazes de fazer musicalmente, é por isso que cada música é diferente e feita de uma outra maneira, isso se encaixa na ideia principal da música, então você terá elementos de morte em minha voz thrash de uma forma técnica e brutal em nossa música vindo de experiências de Dominik e Stefan em suas outras bandas.

Este Ep é o primeiro grito raivoso amaldiçoando este maldito mundo.

Plugmetal Magazine: Interessante o tema deste trabalho, a fúria, o ódio e o rancor são temas recorrentes em músicas de Trhash Metal e realmente o nosso mundo é cheio de tantas coisas ruins que é difícil de compreendermos o porque de tanta maldade, guerras, doenças, caos, ódio desenfreado por religião, sexualidade, nacionalidade, cor da pela, realmente uma grande e triste tragédia.

2- Conte-nos sobre a produção da música “Pure Insanity”:

A: Pure insanity é uma música que expõe a realidade sombria deste mundo e a verdadeira natureza brutal das pessoas e as coisas que estão fazendo para conseguir o que querem, mesmo que isso signifique ALIMENTAR UMA DA OUTRA CARNE.

Plugmetal Magazine: Realmente o mundo em que vivemos é um lugar sombrio, abarrotado de pessoas más, dispostas a tudo pelo poder e pelo sucesso. O capitalismo extremo corrompe toda essência do homem e o torna num verdadeiro demônio capaz de tudo pelo bem estar das finanças.

3- Conte-nos sobre a produção da música “Brainwashed into Madness”:

A: Este àlbum é um chamado para o despertar que mostra a verdade sobre nossa sociedade e os meios de manipulação e controle usados para transformar os seres humanos em fantoches sem mente.

Plugmetal Magazine: Concpção interessante da nossa realidade, pois, todos os dias os meios de  mídia, as redes sociais, a sociedade como um todo tenta nos manipular para os interesses dos poderosos.

4- Conte-nos sobre a produção da música “Rotting Existence”:

A: Esta música é a manifestação de raiva e ódio em relação a este mundo desgraçado, porra, o mundo é uma merda que nasce de todo desapontamento, sofrimento e dor que é a vida.

Plugmetal Magazine: A vida realmente é complicada e pensar nossa existência e a podridão de nosso mundo as vezes se tornar algo recoorente, porém é melhor pensar isso, tomando uma cerveja, ou, então transando com uma bela mulher.(Risos)

Agora vamos falar sobre a formação da banda.

5- Como os membros da banda se conheceram?

A: Eu conheço Stefan há anos e eu tinha essa ideia para a banda há muito tempo, mas o momento nunca foi certo, em 2019 eu conheci Simon (nosso ex-baixista) em um festival e começamos a conversar sobre música e nossa visão desse mundo , nos demos bem e então ele se ofereceu como baixista da banda e trouxe Freddy (nosso ex-baterista) com ele, dominik era amigo de Stefan e eu o conheço de sua outra banda, então decidi que ele estaria na banda antes mesmo de falar com ele sobre isso e de alguma forma ele concordou quando Stefan disse a ele que ele estava na banda, eu finalmente encontrei as pessoas certas que compartilharam minhas visões deste mundo e do amor pelo thrash metal na hora certa da minha vida, quando cheguei ao meu limite e ia enlouquecer. Então a banda foi criada para ser a voz da nossa raiva.

Plugmetal Magazine: Interessante a história da formação da banda, pelo que pude perceber todos foram unidos pelo ódio a hipocrisia do ser humano e pelo amor ao Thrash Metal, esses são elementos que vão desde bandas como Sodon ao Slayer. O mundo realmente é uma caixa de hipocrisa mas quando a cerveja tá gelada não tem hipócrita que não vire camarada. Brincadeira, tô seco pra terminarmos isso aqui e irmos tomar umas brejas. ( Risos).

6- Quais atividades a banda estava fazendo antes da pandemia do Corona Virus?

A: Somos uma nova banda que começamos em novembro de 2019

e infelizmente por causa da pandemia não pudemos fazer nenhum show ao vivo, o que é uma pena porque estamos morrendo de vontade de subir no palco e compartilhar nossa raiva e ódio por este mundo com todos. Mas em novembro finalmente seremos capazes de subir no palco e levantar o inferno.

Essa pausa nos shows nos deu a chance de focar em escrever nosso primeiro álbum, que será concluído em breve.

Plugmetal Magazine: A pandemia atrapalhou a vida de todo mundo, várias pessoas próximas de nosso Editor Chefe foram levadas por essa doença desgraçada,  muitos shows foram cancelados, várias pessoas perderam seus empregos, uma desgraça num mundo já desgraçado pela ganancia e pela inveja.

7- Quem escreve as letras da banda?

A: Eu escrevi todas as letras das músicas e elas são baseadas em minhas experiências,a maneira como vejo este mundo através da minha raiva. Eu queria compartilhar minha visão deste mundo em diferentes aspectos, então escrevi sobre minhas lutas pessoais e frustração, sobre como eu vejo este mundo e as pessoas nele, o que penso da sociedade e como as pessoas estão sendo controladas e manipuladas, expressei meu desejo de vingança contra aqueles que roubaram nossa liberdade, as letras podem ser sombrias e os títulos das músicas podem ser duros, mas essa era minha intenção, somos uma banda de thrash e queremos enfiar nossa raiva nos rostos das pessoas através de nossa música, às vezes você deve gritar para ser ouvido.

Plugmetal Magazine: Novamente um reflexo da realidade no trabalho da banda, vocês tem a pura essência do Thrash Metal, que o metal continue na sua cabeça e bunda rapaz. ( Risos).

8- Como costuma acontecer o processo de produção de uma música?

A: somos uma equipe tentando transmitir nossa mensagem a este mundo, eu tenho a ideia principal de como a música deveria ir dependendo da letra que eu escrevo, então Stefan e Dominik transformam essa ideia em uma música com a qual todos concordamos, na verdade, 3 músicas do  ep foram escritos na sala de ensaio conosco apenas tocando juntos com um objetivo final em mente.

Plugmetal Magazine: Interessante, isso mostra o quão unidos vocês estão em torno do projeto.

9- Vamos agora falar sobre o futuro, quais são seus projetos para o futuro?

A: Estamos muito próximos de terminar nosso primeiro álbum. As ideias principais para as músicas já foram escritas e temos algumas canções que vão surpreender as pessoas.

Algumas das músicas falarão sobre a situação que estamos vivendo, alguns pensamentos sobre meus demônios pessoais que enfrento em minha vida diariamente.

O álbum será uma continuação do EP mais um grito de raiva na cara desse mundo cruel.

Plugmetal Magazine: Opá! Música nova na área para agitar as cabeleiras ao redor do mundo (risos), isso é bom, muito bom. Uma vez fomos em um show de Trash Metal, a cabeleira de nosso Editor Chefe Wagner Barbosa batia tanto que ele jurou nunca mais bater a cabeça , um minuto depois lá estava ele batendo alucinado. (risos)

10- Cite algumas bandas que surgiram da mesma cena que você e comente sobre o Underground local.

A: Pripjat é uma banda incrível vinda de Colônia, Suicide Of Society também é uma grande banda de Siegen que acaba de lançar seu primeiro álbum.
Bem, a área de Ruhrpott em geral tem uma das melhores cenas de metal do mundo, é o berço das principais bandas de thrash alemãs e você pode ver e sentir sempre que vai a algum show ou pub ou qualquer reunião. As pessoas abraçam o verdadeiro espírito do metal, é uma família unida da qual temos orgulho de fazer parte.

Plugmetal Magazine: Realmente grandes bandas do metal mundial vieram da Alemanha , talvez as melhores bandas, o Big Alemão é enorme, os estadunienses perderam nessa. (risos)

11- Se você pudesse colaborar com uma banda ou músico atual, quem seria?

A: Bem, minha banda favorita é o Megadeth e eles são uma das principais influências e razão para eu criar essa banda, então seria um sonho que se tornou realidade para mim colaborar com eles.

Outra banda que tem uma grande influência na minha composição e uma das minhas favoritas também é o Sepultura e eu adoraria colaborar com eles também.

Plugmetal Magazine: O Megadeth é um projeto maestral dos melhores que existem dentro do Heavy Metal, músicas como “Hangar 18” e “Symphony of Destruction” são veradeiros hinos da música universal e o Sepultura também foi um trabalho incrível, vão me chamar de viuvete por defender o Sepultura com o Max e Igor, se eu fosse eles teria registrado patente do nome, estão acabando com o nome Sepultura , o cara lá canta pra caraleo, o Sepultura ainda é foda mas não é a mesma coisa sem os cavalera. ( risos)

12- Se você pudesse tocar em qualquer festival do mundo, qual escolheria e por quê?

A: Bem Wacken claro já que é o maior Festival de Metal do Mundo e sempre teve um lugar especial em nossos corações.

Eu viveria para tocar no Metal Days na Eslovênia também, no Hell Fest na França e no Graspop na Bélgica. A atmosfera nesses festivais é incrível e você pode sentir o espírito do Metal ao vivo e bem.

Eu realmente não sei muito sobre os festivais de Metal na América do Sul, mas eu adoraria ir e tocar lá um dia também, tenho certeza que vocês fazem um Trhash extremo.

Plugmetal Magazine: O Wacken na Alemanhã, Hell Fest na França e o  Ressurrection Fest na Espanha são os maiores festivais do mundo, infelizmente na America ainda não temos festivais tão grandes assim dedicados apenas ao Metal.

13- Se você pudesse mudar alguma coisa na indústria da música, o que seria?

A: Bem, infelizmente, você pode ver que a música está se tornando cada vez mais um negócio do que uma expressão de ideias e uma forma de transmitir uma mensagem.

Existem muitas bandas mainstream sem nenhum conteúdo real em turnê pelo mundo e ganhando milhões, alimentando-se das mentes fracas dos fãs que estão sendo programados para um certo padrão controlado pela mídia.

Eu definitivamente encorajaria as bandas a permanecerem reais e fiéis à sua mensagem e não cederem à pressão de se encaixar nessa sociedade falsa.

Nós somos Metalheads, pelo amor de Deus, somos os rebeldes e não seremos controlados.

Plugmetal Magazine: Realmente o mercado da música é podre, muitos estão vendidos ao sistema e as letras de Metal já não se diferenciam mais do conteúdo de artistas de quaisquer outros estilos, tudo isso é muito triste.

14- Vou citar dez clássicos do Thrash Metal, diga-nos se algum deles faz parte de sua influência musical e se sim, o que eles representam em sua vida.

1) KREATOR: “PLEASURE TO KILL” (1986)

A: O Kreator é uma das nossas principais influências e uma das melhores bandas de Thrash de todos os tempos. Eles vêm da mesma região que nós e aspiramos atingir o nível deles no futuro.

Plugmetal Magazine: O kreator é uma obra prima do Thrash Metal, tivemos o prazer de vê-lo em 2018 juntamente com o Arch Enemy, realmente um trabalho maravilhoso que legou muito a música extrema.

2) LIVING DEATH: “PROTECTED FROM REALITY” (1987)

A: Uma banda altamente subestimada com música incrível. Qualquer thrasher deve dar uma olhada.

Plugmetal Magazine: Essa banda é incrível e realmente merecia mais atenção.

3) DEATHROW: “RAGING STEEL” (1987)

A: Thrash no seu melhor.

Plugmetal Magazine: Realmente eles fazem um Trash de melhor qualidade que merece ser escutado por todo o mundo.

4) ASSASSIN: “THE UPCOMING TERROR” (1986)

A: Banda agressiva e brutal que afetou nosso estilo até certo ponto.

Plugmetal Magazine: O som deles é muito agressivo, com um Thash Metal no estilo clássico com letras fortes, vocal pesado e riffis alucionantes, admiramos muito o trabalho deles.

5) EXUMER: “POSSESSED BY FIRE” (1986)

A: Mais uma grande banda que tenho o prazer de conhecer pessoalmente e chamar de amigos. Eles têm uma ética de trabalho incrível, música incrível e oferecem shows ao vivo selvagens.

Plugmetal Magazine: O som deles de fato é incrível um Thrash Metal com pegadas de Death, algo primoroso nas páginas da história da música Metal.

6) TANKARD: “CHEMICAL INVASION” (1987)

A: Uma grande banda que mostra o quão diverso o thrash Metal pode ser.

Plugmetal Magazine: O som deles é incrível e as temáticas são bem variadas, eles de fato não venderam ao politicamente correto e a imposiçaõ do podre mercado da música, não faltam mulheres sensuais e cerveja em clipes deles, os caras sabem oque é bom, e foda-se a opinião alheia. ( risos)

7) SODOM: “AGENT ORANGE” (1989)

A: Outra grande banda da nossa área que tem alguma influência na nossa música.

Plugmetal Magazine: Realmente eles são uma banda gigante com uma relevância ímpar dentro da música extrema.

8) DESTRUCTION: “ETERNAL DEVASTATION” (1986)

A: Uma ótima banda com ótimos shows ao vivo também.

Plugmetal Magazine: Extamente!  Sem comentários adicionais.

9) Metallica : “The Black Album” (1991)

A: Uma das maiores influências para nós e uma das minhas favoritas. É um sonho nosso deixar um legado incrível e entrar para a história como uma das melhores bandas de todos os tempos.

Plugmetal Magazine: De fato o Metallica é um gigante, a maior banda de toda história do Trash Metal, um trabalho divino.

10) BAPHOMET: “LATEST JESUS” (1992)

A: Foda-se homem, som é simplesmente brutal.

Plugmetal magazine: Brutal! Brutal! Sem mais!

15- O que você tem feito para manter a banda unida nestes tempos de pandemia do vírus Corona?

A: Finalmente podemos nos encontrar regularmente de novo e estamos trabalhando duro para terminar nosso álbum de estreia e estar prontos para os shows ao vivo.

Plugmetal Magazine: Obrigado novamente pela entrevista e deixo este espaço aberto para vocês
deixe uma mensagem especial ao público.

A: No final, gostaria de agradecer por nos apoiar e ajudar a espalhar nossa mensagem de raiva, acho que nessas horas todos nós estamos com raiva e precisamos de uma maneira de expressar essa raiva.

Obrigado novamente pela entrevista e deixo este espaço aberto para vocês deixarem uma mensagem especial ao público.

A: Eu gostaria de deixar uma mensagem para nossos fãs no Brasil. O Brasil tem um lugar especial em meu coração, eu sou um grande fã da cena metal lá, posso sentir a raiva na música e ouvir os gritos de frustração e ódio a uma ascensão de anos de injustiça e sofrimento. Posso me relacionar com o modo que as pessoas se sentem lá e um dos meus objetivos é tocar ao vivo no Brasil um dia, para que possamos compartilhar nossa raiva e ódio por este mundo.

  • Esta entrevista foi realizada por Wagner Barbosa da Plugmetal Magazine com Mahmood/ Cerebral Invasion .

Links Sociais: Facebook | Band Camp | Metal Archives

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 1

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Como você achou esse post útil...

Sigam nossas mídias sociais

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Por favor compartilhe: